hide

Need a gift for a gifted musician?

The SoundCloud Premium accounts also come as virtual gifts and it takes only two minutes to get one. Head over to our Gift page and check out the different Premium accounts starting at only €29 per year.

Gift page

About

| A Banda |

O Black Sonora vem com a idéia clara de somar, experimentar e influenciar o meio. A força do som sai do meio artístico para o meio da rua, passando pelo soul, samba-funk, hip-hop e outras ramificações da black music, sendo influenciada por Jorge Benjor, Jackson do Pandeiro, Marku Ribas, Tim Maia, Buena Vista Social Club. Com músicos dos mais diversos estilos e variadas influências culturais, já se apresentou em praticamente todos os espaços culturais da capital mineira, sendo admirada por grande parte do público belohorizontino.

| Integrantes |

Desde 2002 os integrantes Gustavo Negreiros (voz e guitarra), Rubén “Cubanito” Santillana (voz e percussão), Luiz Prestes (baixo), Ronan Teixeira (bateria), Helton Rezende (guitarra), Bruno Lima (percussão) e DJ Yuga (samplers, intervenções e percussão) vêm se aglomerando para criar um registro sonoro brasileiro, rimando mineiro com cubano, soul urbano com influência do meio, juntando as partes e se fazendo inteiro.

| Conquistas |

Em 2006 apresentou-se em diversos festivais de inverno em cidades históricas de Minas Gerais com Diamantina, São João Del Rey, Ouro Preto e Ouro Branco. Foi selecionada para os festivais de maior relevância na cidade como FAN (Festival de Arte Negra) e FIT (Festival Internacional de Teatro). No mesmo ano foi classificada para o Conexão Telemig Celular de Música incluindo a música POESIA URBANA no CD do festival. Essa música, composta pelos vocalistas Gustavo Negreiros e Rubén Santillana, ganhou também o primeiro lugar no 1º FESTIVAL DE MÚSICA DE BELO HORIZONTE.

Em 2007, o grupo teve a satisfação de dividir o palco com a “big band” Funk Como Le Gusta, e ainda contou com uma canja de “tonelada” do trompetista Reginaldo 16. Também se apresentou ao lado da banda Eddie (PE), na Noite Alto Falante (Rede Minas), e recentemente gravou seu primeiro videoclipe na plataforma da Estação Central do metrô de BH, que será lançado em agosto. Em maio, a banda fez a abertura da edição 2007 do projeto “Música Independente”, no teatro João Ceschiatti do Palácio das Artes, que foi gravado e transmitido pela Rádio Inconfidência e Rede Minas de Televisão.

Em 2008 realizou shows em Uberlândia no espaço GOMA, na UFU – Universidade Federal de Uberlândia e no projeto Arte na Praça (www.programaartenapraca.blogspot.com), que é realizado há seis anos na Praça Sérgio Pacheco. O Black Sonora também tocou no Festival de Inverno de São João Del Rei, em Araxá, em São Paulo pelo SESI Vila Leopoldina, no projeto SONS URBANOS, além dos vários shows em Belo Horizonte, sempre com casa cheia de um público conhecedor do trabalho da banda. Também foi em 2008 que a música “Mar pra mim”, do Black Sonora entrou para o acervo do Museu Abílio Barreto - exposição com objetos que marcaram a vida dos moradores de Belo Horizonte (http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=586344&page=5).

A banda mineira BLACK SONORA também foi a vencedora, pelo voto popular, do GASSOUND, concurso nacional de bandas independentes exibido pela Rede TV!, ficando em segundo lugar pela votação do juri. Produzido pela emissora paulista e o Guaraná Antarctica, o programa realizou sua segunda edição e é considerado o maior concurso de bandas do país da atualidade. Em 2008, foram duas mil bandas inscritas, sendo 50 selecionadas para as etapas Belo Horizonte, Brasília, São Paulo, Porto Alegre e Recife. Com apresentação de Toni Garrido, o concurso conta com quatro jurados: George Israel (Kid Abelha), Japinha (baterista do CPM22), Supla e Márvio Lúcio (radialista e humorista, mais conhecido como o “Carioca” do Pânico da Rádio Jovem Pan e no programa Pânico na TV na Rede TV.).

| O show |

Através de um repertório variado e arranjos caprichados, o Black Sonora leva o público ao delírio executando suas composições e versões de clássicos do suingue nacional da década de 1970. No show, a banda faz uma um passeio pelas diversas sonoridades da música negra. Suas músicas trazem a mescla de Soul, Hip-Hop, Samba-Funk, Reggae, Baião e Ritmos Latinos, uma apresentação única com muito groove, suíngue e malemolência.

O show é composto por músicas próprias como a pop latina “Poesia Urbana” (incluída no CD “Conexão Telemig Celular de Música 2006”), o baião funqueado “Yo No Quiero Stress”, o groove intrumental “Tensão & Alívio”, os sambas souls “Prejuízo” e “Sambar pra Que”, a samba funk “Treta”, o rap core “Donde Estás Yemayá”, o funk rock “O Mar Pra Mim” e a balada soul “Tempo”. A banda também aposta em compositores da nova safra mineira como Bruno Couto “Vira o Disco” e Jr. Bocca “Madêra”. E é claro, os mestres do suingue Jorge Ben com “Jorge da Capadócia” e “Cassius Marcelo Clay”, Tim Maia “Que Beleza” e “Guiné Bissau, Moçambique e Angola” e Jackson do Pandeiro com “Capoeira Mata Um”.

| Outros projetos da Banda |

A banda realiza o projeto “Tributo ao Racional Tim Maia”, criado pela banda em 2004. Desde então a Black Sonora se junta a outros nomes da música independente para realizar o evento. Júlia Ribas, Diamondog (rapper angolano), Marku Ribas, Raquel Coutinho, Tambor Mineiro e Trovão da Minas foram alguns dos artistas que participaram dos memoráveis shows realizados em 2004, 2005 e 2006.

O Tributo consiste em resgatar no palco a obra mais desconhecida do cantor, “Tim Maia Racional volumes 1 e 2”, LP’s gravados quando o cantor estava ligado à Cultura Racional. Os discos, lançados em 1974 e 1975 respectivamente, são considerados por críticos de música, jornalistas, músicos e fãs como os registros da melhor fase de Tim, no auge da sua potência vocal e musicalidade devido ao afastamento das drogas.

A 6ª edição do TRIBUTO AO RACIONAL TIM MAIA aconteceu em 2008, no dia 14 de Março, com a participação dos belo-horizontinos Sérgio Pererê e DJ Fausto e o carioca B Negão, para celebrarem juntos a fase Racional do síndico do Soul Brazuca.

O que falam do BLACK SONORA por aí

“Faz uma espécie de funk com música cubana cheia de groove e suingue. Algo de novo acontece nas esquinas de Minas Gerais.” Júlio Maria - Jornal da Tarde, São Paulo

“...o Black Sonora assume sua porção funksoulbrother com muito orgulho.” Rodrigo James é jornalista do programa de TV Auto Falante – Rede Minas

“...Black Sonora casa suingue, peso, sambafunk, eletrônica e o que mais fizer mexer as cadeiras.” Daniel Barbosa é músico, produtor e jornalista jornal O Tempo

blacksonora Black Sonora, belo horizonte, Brazil

Follow

Share to WordPress.com

If you are using self-hosted WordPress, please use our standard embed code or install the plugin to use shortcodes.
Add a comment 0 comments at 0.00
    Click to enter a
    comment at
    0.00