Track artwork

Caminhos sem ferro

pestefm on December 19, 2011 03:34

Stats for this track

This Week Total
Plays 877
Comments 6
Favoritings 8
Downloads 12

Uploaded by

  • Report copyright infringement

    More tracks by pestefm

    Ser-se velho

    2 - Esforço-me por não esquecer.

    Uma bebida para dois

    Fuga para a frente

    Entre a Rua da Saudade e o Bairro do Amor

    View all

    música: "Requiem for the Static King, Part Two" dos A Winged Victory for the Sullen.

    "Caminhos sem ferro" by pestefm is licensed under a Creative Commons License

    6 Comments

    4 timed comments and 2 regular comments

    • pestefm
      pestefm at 0.00 on March 14, 2013 04:09

      @Anabela Parelho: obrigado minha querida. tempos e lugares e pessoas inscritos nas nossas vidas. mas diz que é o país a andar em frente... beijo

    • pestefm
      pestefm at 3.51 on March 14, 2013 04:04

      @nuno-chambino-martins: diz antes, é triste! um abraço

    • Anabela Parelho
      Anabela Parelho at 0.00 on March 06, 2013 23:49

      Os comboios, o alentejo... as aldeias do alentejo profundo... Eu ficava nos meses quentes no Assumar, e tu em... Fazenda, certo? Parabéns, está fantástico.

    • nuno-chambino-martins
    • pestefm
      pestefm on December 19, 2011 19:41

      o meu amigo Jorge F. descreve essa tristeza, deste modo:

      "De cada vez que se acaba com um serviço ferroviário, que se acaba com o sangue que corre nas veias de uma terra e se condena uma linha à morte por gangrena, é um pouco de Portugal que morre...
      O país precisa de gastar menos. De perder peso.
      Mas como as dietas levam muito tempo, corta-se uma perna, depois a outra...
      O paciente perde peso rapidamente, mas fica sem poder andar.
      Acho que é a isto que estamos a condenar o país."

    • nurbo
      nurbo on December 19, 2011 11:28

      Extraordinário!
      Fiquei especialmente impressionado e tocado por esta intervenção, o meu pai foi ferroviário funcionário da CP na saudosa linha do Vouga. Ainda me lembro de andar no "chelas" o comboio a vapor e quando pequeno de ir na cabine do maquinista e ser eu a apitar quando ele me dizia para o fazer. O que mais me impressionava naquela cabine era aquilo a que chamavam o "homem morto" o que para um miúdo de 5,6 anos era um mistério total á moda dos livros dos Cinco..lol.
      Foram muitos anos, experiências, meditações, foi muita vida, muito crescer ao som inigualável e inesquecível das rodas de ferro a rolar sobre aqueles carris.
      Muito obrigado aos Caminhos de Ferro por terem durante muitos e importantes anos da minha vida cuidado bem de mim.
      É sempre com tristeza e nostalgia que sinto as tristes e míopes notícias do encerramento de mais um, qualquer que seja, troço de caminho de ferro.

    Add a new comment

    You need to be logged in to post a comment. If you're already a member, please or sign up for a free account.

    Share to WordPress.com

    If you are using self-hosted WordPress, please use our standard embed code or install the plugin to use shortcodes.
    Add a comment 0 comments at 0.00
      Click to enter a
      comment at
      0.00